"Um caso perdido" - Colleen Hoover





A minha primeira trapalhada quando conheci a Colleen Hoover foi que era para ter seguido a indicação da Colleen Houck que era conhecer as tão bem faladas história dos tigres. Mas como eu não havia anotado a referência esbarrei com "Slammed" e fatalmente me apaixonei e segui lendo a autora de forma voraz.


Alguns traços da escrita de Colleen Hoover chamam minha atenção. A primeira é que ela ao falar da história, seja ela qual for. A autora ressalta os diferentes atores, ou seja, ela pega aquela história e cada personagem pode falar sobre a sua versão dos fatos. Pelo menos foi o que aconteceu até agora nos livros que eu li da série "Slammed", O lado feio do amor, da série "Hopeless".

Essa característica confere maior verossimilhança a história e fornece ao leitor a capacidade de julgar aquilo de acordo com os seus princípios.

E aí, meus caros, está um ponto de qualquer coisa que eu tenha lido dela. A maestria com que ela trás assuntos difíceis de serem discutidos de forma sóbria e consciente, sem puritanismos e sem juízo de valor. Fala-se sobre estupro, adoção, sequestro, homossexualidade sem aquela tensão hipócrita, de maneira fluída e bonita de se ver.  Tal fato, se deve a CoHo ser assistente social e lidou com essas histórias de forma intrinseca no seu cotidiano de trabalho.

Hopeless começa com uma aparente história de adolescente e para as trintonas como eu, tive vontade de parar nas primeiras páginas e sinceramente sim...vale muito a pena insistir. Pois começam logo os meandros de amor e tensão com pedofilia, estupro, alcoolismo, exclusão digital, esperança e romance, por que nem só de tempestade é feita a vida,

Escrever esse texto dá um medo danado de passar spoilers, sendo assim vou tentar me ater a questões pontuais:

1- Exclusão digital: Caraca, muito estranha essa total exclusão digital que a Sky vive, não é?

2- Moralidade e legalidade são dois princípios jurídicos, mas devem ser levados ao pé da letra de forma concomitante?

3- Six é a best friend que você respeita.

4- Breckin com cafeína matutina e perspicácia fazem a história ser bem melhor

5- Daniel, o amigo maluco que vc respeita.

Gente, sério eu li a série inteira, então posso dizer o seguinte para vocês: o segundo livro trás as opiniões de Holder e a sua ligação com Less. Poucos acontecimentos novos e um ritmo mais lento de história,
O spin off "Em busca de Cinderela" é a coisa mais fofa e linda de romance. Não posso falar nada, porque não conseguiria guardar segredos, é daquelas histórias ownnnnnnnnnn

E lembre-se "Quando você estiver triste, olhe para o céu. Por que o céu sempre é bonito."




Comentários

  1. Confesso que não sou muito fã de livros que são basicamente a mesma coisa e mudam apenas o PDV. Talvez eu dê uma chance pra Sem esperança, mas não por agora. Ainda assim, me apaixonei demais pela escrita da autora e quero muito ler outras obras dela.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Artesanato para casamento. Etapa 1- Coração.

Comer, ler e crochetar